sexta-feira, 6 de abril de 2012

A Guerra está Declarada

Meus períodos de postagem variam entre 6 meses a um ano, e toda vez que eu volto prometo não abandonar mais o blog, vou prometer de novo e desta vez tentar cumprir.

Desde Setembro do ano passado até o presente momento tantas coisas aconteceram, tantas coisas mesmo, consegui realizar alguns sonhos: euro-mochilão, vir para São Paulo na busca de trabalhar com o que eu sempre quis, entre outros menores. Mas os acontecimentos em si dão um post gigantesco, que vou deixar para depois, ou para nunca mesmo.

O que marca meu retorno é falar sobre um filme que desde que assisti tem 'martelado' em minha cabeça escrever sobre ele, se eu falar que o filme é incrivelmente sensacional pode te deixar com a expectativa lá em cima e você se frustar, não permitindo o mesmo encantamento que eu tive ao vê-lo, então falarei que o filme é muito bom.

Eu o assisti em Janeiro, e toda vez que alguém me pede um filme para indicar não consigo indicar outro, vou tentar explicar o por que. Não apenas porque é francês, se passa na linda Paris, não apenas porque tem uma trilha muito boa ou porque a sensibilidade do filme é tão grande que exala da tela, mas a obra em si é muito bem sucedida. Toda vez que gosto bastante de um filme não consigo apenas assistí-lo e adeus, me sinto no dever (como cinéfila declarada) investigar o máximo que eu puder. E nesta "investigação" o que mais me surpreendeu... bom antes vê aí o trailer.


Bom, o filme conta a história de Romeu e Julieta, irônico a ponto dos próprios personagens brincarem com isso quando se conhecem, os dois se apaixonam, ficam juntos e tem um filho, até aí uma história como outra qualquer, até que então os dois se deparam com a doença de seu filhinho ainda bebê, e a história vai se desenrolando em como o jovem casal reage a algo que exige tanta força e maturidade, ok... é um drama, mas e se eu te contar que está é história dos dois atores do filme. 

Escrito e dirigido por Valérie Donzelli, que por sinal faz o papel de si mesma, seu companheiro no filme intrepretado por Jérémie Elkaïm, também foi seu marido na vida real, e ainda conta com a participação do próprio filho, Gabriel Elkaïm, fazendo o papel também dele mesmo no final. Valérie e Jérémie realmente passaram por todo o drama que o filme retrata, não estão mais juntos, porém se juntaram para fazer este ótimo filme, com um baixíssimo orçamento e que foi selecionado para representar a França na luta pelo Oscar de melhor filme estrangeiro este ano.

A Guerra está Declarada (o filme meio que explica a metáfora do título) vale realmente a pena, se prepare para as lágrimas, para a ótima trilha, para os lindos planos, para simplicidade e sensibilidade, deixando no final aquele gostinho de encantamento, e aqueles com disposição para "filmmaking", perceberão que se foram capazes de fazer um ótimo filme sem recursos, vão crer que também são.